Uruguai – Natal e Réveillon

O que nosso vizinho faz de igual e diferente de nós brasileiros?

Também tínhamos essa curiosidade e tivemos uma boa surpresa =)

IMG_0445
Réveillon Punta del Este 2018

Tanto natal quanto a virada de ano aqui no Uruguai são geralmente comemoradas com a família. No Brasil isso é comum também, mas a população jovem no Brasil procura passar o ano novo com os amigos ao invés da família. Outras tradições brasileiras de Réveillon incluem vestir roupas brancas e festas open bar ridiculamente caras – infelizmente estamos trazendo essa última para o país vizinho.

Mas vamos começar pelo Natal! Passamos o natal em Montevidéu e descobrimos que haviam muitas festas programadas para o dia 24 de dezembro, e praticamente nenhuma para o dia 31 de dezembro. Em uma caminhada pela rambla (calçadão beira-mar) vimos um bar nas areias da praia Pocitos com DJ e vimos mais três eventos grandes com palcos montados. Festa o dia inteiro, se estendendo até a meia-noite. Durante o dia muchos adolescentes borrachos, o público dos eventos tinha cerca de 18 – 22 anos (minha impressão). Já os eventos que iriam começar de noite tinham um apelo mais família. E pelo o que conversamos com os nativos, dia 25 de dezembro é comum ficar em casa com a família fazendo uma parrilla (churrasco feito de maneira típica daqui). O que é exatamente o que eu faço com minha família no Brasil no dia 25, então me identifiquei.

Nunca me passaria pela cabeça ir em uma festa na véspera de natal, eu não sabia que isso existia. Se soubessemos antes, teríamos ido à alguma para conhecer. Mas agora isso já vai entrar na pesquisa uma próxima vez que passarmos o natal em outro país. Claro que pra mim, pessoalmente, nenhuma festa substitue passar essa data com as pessoas que amamos, isso já é um rito bem enraizado.

Pra completar com chave de ouro nossa surpresa com as festividades de Navidad da capital uruguaia, 10 min para meia-noite começou uma queima de fogos incrível que durou cerca de meia hora. Bem, houve fogos espalhados o dia todo até boa parte da madrugada, mas foi meia hora de fogos intensos. Fogos comprados pelo povo para o povo. Nada gerenciado pelo governo ou instituições privadas, pelo menos não na área que estamos que é residencial. As tais festas que passamos provavelmente soltaram fogos também. Fizemos um vídeo desse momento lindo (natal Montevidéu).

Passou o natal e estávamos a procura de uma festa de ano novo. Nosso plano era passar aqui em Montevidéu mesmo, mas descobrimos que não havia muitas opções de festa. Muitos restaurantes oferecem um jantar na virada com música ao vivo, comida e bebida inclusas por uma leve facada de 200 dólares americanos por pessoas. Mas a gente estava interessando em dançar, uma festa mesmo. Não adianta, temos uma forte tradição de festas de Réveillon no Brasil. Parece que não é a mesma coisa passar apenas em casa ou num restautante. Talvez isso mude pra gente com a idade… mas… essa ainda é a expectativa atual.

Finalmente descobrimos uma festa dia 31 de dezembro em Montevidéu! No Mercado do Puerto. Mas foi só olhar uns vídeos no youtube para desistir da ideia. A galera fica por ali bebendo já durante o dia, eles tem o hábito de jogar espumante um no outro, a lluva de cidra (ja pensou o cheiro disso, debaixo do sol quando começar a secar na roupa? Poisé…). E pra completar vimos uma “guerra de garrafas”. As garrafas de espumante eram de plástico, mas mesmo assim não quero estar no meio dos grupos jogando garrafas uns nos outros (festa ano novo Mercado do Porto, Montevideo). Com certeza há quem goste, mas estávamos procurando outro tipo de festa. E a todos os que perguntávamos nos diziam que o destino para festas de ano novo era Punta del Este.

Punta del Este fica há 2h dirigindo de Montevidéu. 4 dias antes da virada, bem de última hora decidimos alugar um hotel e ir. Foi uma ótima decisão, lugar certo para a festança. Não fica tão lotado quanto as praias brasileiras (nem de perto). Mas nunca ví tanto brasileiro reunido num só lugar fora do Brasil (nem em Miami! haha). Assim como caminhar nas praias de Floripa no verão é ouvir espanhol, Réveillon em Punta del Este foi caminhar ouvindo português! Até nos encontramos com uma amiga de Floripa que por coincidência passou a virada por lá também, surpresa boa =)

Antes de ir, procuramos uma festa privada na internet, mas no final decidimos que queríamos ver qual era a vibe do povo na rua, ao invés de nos colocarmos numa bolha. Mas foi nessa pesquisa que vimos os clubes de Jurerê Internacional expandindo seus lucros nas terras uruguaias. O clube 300 e o P12 estávam sediando festas por aqui que estavam no quarto lote por um valor de 1000 reais (wtf?). A ironia de tudo isso é que a festa é basicamente feita por brasileiros para brasileiros, que são seu maior público. Mas, para quem quiser curtir uma festa uruguaia de virada, existe essa aqui.

Aqui vai nosso relato já junto com algumas dicas. Há alguns bares com DJ no porto de Punta del Este, é pra lá que a maioria do público jovem vai depois da meia-noite. Mas na área do porto, com todas as embarcações atracadas alí, é proibido soltar fogos de artifício. Ainda da pra ver os fogos dos outros locais de longe, mas se você quiser ver de perto é melhor ir para a orla da praia e depois caminhar até os bares. Foi o que fizemos. Nos indicaram que o Cassino Conrad soltava bons fogos e ficamos na frente dele, na praia. Ele fica há uns 20 – 25 min a pé dos bares e você vai caminhando pela rambla, bem tranquilo. Não só esse local foi bom para assistir os fogos, mas por mais dois motivos. A boa música vinda do Clube Ovo (uma das festinhas de mil reais), e o fato de não haver banheiros públicos instalados em parte alguma. Muito pelo contrário, os poucos “pipi móveis” que haviam para os turistas usarem durante o dia foram trancados a correntes e cadeados para evitar o uso a noite. Então, o cassino foi a salvação para usar o banheiro, ja que haviam vários e muita gente saindo e entrando, então não estávam “vigiando” essa questão de ser cliente. Aliás, havia uma festa bem legal com muita ao vivo rolando dentro do cassino. Pelo o que eu pude ver era gratuito, só se pagava o que fosse consumir.

O cassino, assim como os restaurantes da região, ofereciam jantares de ano novo. O mesmo esquema de Montevidéu: open food e open bar, e música ao vivo. Por preços de 200 – 400 dólares por pessoa. Como nosso plano não era passar a noite no restautante e aproveitar o tal open food e bar, procuramos algo com preço mais acessível. Encontramos uma parrilla de um hostel que tinha música ao vivo e você pagava sua própria bebida. Perfeito! O nome do lugar era El Viajero Hostel. Além de tudo isso ainda tinha uma sinuquinha de graça no local e uma galera amigável.

IMG_0428
Cena de Año Nuevo El Viajero Hostel

Jogamos, bebemos, comemos, ouvimos boa música… chegou a hora de ir pra orla da praia encontrar nossos amigos e ver os fogos. 2017 estava chegando ao fim. Um ano muito gostoso e marcante pra gente. Nos casamos, a Jackie se formou, e finalmente iniciamos essa viagem, dando nascimento ao Blog Vida Itinerante. São muitas coisas a agradecer, mas também estávamos empolgados por 2018 e todas as aventuras e aprendizado que ele irá nos trazer.

Foi muito legal, os fogos, as espumantes, a vibe… Mas realmente nem se compara com os fogos gereciados pelos governos brasileiros nas cidades turísticas. Nos fogos do natal em Montevidéu foi muito legal, mas pode ter sido por que estávamos no meio da cidade e não esperávamos por nada. Porém, quando você está de frente a imensidão do mar, céus escuros, todo aquele espaço para preencher, ter uma dúzia de fogos espalhados não chega aos pés das plataformas que são colocadas na água e fazem os fogos sincronizados que temos no Brasil. Quanto a isso não adianta, não conheço nenhum lugar que celebre tanto essa data como nós. Esse vídeo de um drone filmando a hora dos fogos em Punta eu achei muito top. Uma porque dá pra ver que a queima de fogos não fica restrita à orla, a população comemora por toda a parte. Outra questão interessante é ver que mesmo nesse momento o trânsito está fluindo, algo impossível no litoral brasileiro nesse dia.

Depois de puladas as ondinhas e terminar as espumantes, seguimos aos bares do Porto. Que caminhada legal! Ver todas as famílias e grupos se divertindo. Muito Reggaeton rolando, sorriso solto. Na região dos bares o mais popular e mais cheio era um chamado Mobby Dick. Esses bares servem o tal jantar de ano novo também, mas abrem para quem queira curtir só a balada depois da meia noite. O preço da entrada estava cerca de 70 reais. Eram espaços abertos, na rua, apenas cercados por grades e seguranças. Então tinha muita gente curtindo as músicas e dançando no calçadão, fora da festa. O único problema é aquela questão do banheiro que já comentei. Então você precisa “afiliarse” à algum lugar com banheiro. Gostamos muito da animação e comemorações de ano novo em Punta del Este. Com certeza não é tão lotado quanto no Brasil, então mais tranquilo para curtir.

Festamos a noite toda e assistimos o primeiro nascer do sol do ano na Praia Brava, que fica bem pertinho do porto. Essa é a praia que possui a famosa escultura das mãos saindo da areia.  FELIZ 2018 à todos nós!!!

IMG_0492
1 de janeiro de 2018, Punta del Este

 

 

 

 

 

3 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s