Turismo em Ouro Preto e Mariana

Estamos na estrada há quatro meses, viajando de carro pela América do Sul. Já passamos por: Buenos Aires, Uruguai (todo o litoral), Rio Grande do Sul e Santa Catarina. E temos que dizer que um dos locais mais legais que conhecemos até agora está em Mariana: a Mina de Passagem.

20180318_112228 (1)
Piscinas Naturais no fundo da Mina de Passagem, à 120m da superfície

O passeio durou em torno de 45 min. O visitante desce por um carrinho de madeira suspenso por um cabo de aço, indo à 120 metros abaixo do solo. Dali o guia explora as galerias da mina contando como a extração do ouro era feita na época em que a mina era ativa. São ao todo 30km de túneis que percorrem o subsolo da cidade de Mariana. “Isso é um verdadeiro labirinto, não queira se perder” – adverte o guia. Ao final do tour, antes de retornarmos à superfície, encontramos lindas piscinas naturais com águas cristalinas. É possível fazer mergulho com cilindro de oxigênio para quem tiver a licença avançada de mergulhador, com a certificação adicional para mergulhar em cavernas. Para nós, apenas nadar nessas águas já valeu a pena, fomos preparados! “Cuidem para não ingerir água”, nos diz o guia, e logo completa a piada: “a menos que vocês tenham anemia, pois a água contém bastante minério de ferro!”. Depois de rirmos bastante ele fala com seriedade: “Não gente, é que há uma alta concentração de arsênio na água e vocês podem ter algum sintoma desagradável”. Assim brincamos na água por uns 10 minutos e saímos feliz. Diz a lenda local que quem se banha nessas águas rejuvenesce (estou esperando! rsrs).

IMG_3403.jpg
Entrada da Mina de Passagem, Mariana

Mas e aí, você já tinha ouvido falar de uma cidade chamada Mariana alguma vez?

Assim como Gramado e Canela no Rio Grande do Sul, há uma rivalidade turística entre Ouro Preto e Mariana. Como Gramado, Ouro Preto rouba toda a fama, porém divide belezas com a cidade vizinha e ambos merecem uma visita. A comparação com as cidades do sul ajudam a nortear tanto o turista que vai daqui pra lá quanto de lá pra cá. Da mesma forma que Gramado, Ouro Preto tem mais estrutura turística, mas Canela e Mariana mais belezas naturais. Para saber mais sobre as cidades do sul dá uma olhadinha nesses posts: Ecoturismo na região de GramadoSerra Gaúcha e Pinheiro Multissecular – RS.

Se você vai até um local sem conhecer sua importância histórica, você talvez não ache ele nada de mais. São detalhes da arquitetura que você não percebe por ignorar como ele era usado na época de sua construção… enfim, ir para Ouro Preto e Mariana sem mergulhar em sua história é perder metade da viagem.

Nessa leitura vamos desconstruir dois MITOS que habitam o imaginário de muitos brasileiros:

  1. Brasília é a única cidade planejada no Brasil (ou foi a primeira cidade planejada);
  2. O Ciclo do Ouro de Minas Gerais teve importância apenas para o Brasil.

O que esses mitos tem a ver com Ouro Preto e Mariana? Tudo! Conhecer essas cidades é poder montar o quebra-cabeça de uma importante parte da história do Brasil que não fazia sentido pra gente quando éramos crianças. Parte por causa da maneira fragmentada que aprendíamos e parte pela falta de noção de tempo nas crianças.

Essa é uma imagem da concentração populacional no Brasil, quanto maior o círculo luminoso maior número de pessoas. Cerca de 80% da população brasileira vive até 300km do mar. No centro do mapa, contrariando essa tendência, estão dois grandes círculos luminosos: Belo Horizonte e Brasília.

Image result for concentração populacional brasileira
Fonte da imagem

A distribuição da população para o coração do país foi fortemente impulsionada pelo Ciclo do Ouro. Em 1750, Ouro Preto era a cidade MAIS POPULOSA DAS AMÉRICAS! Ela possuia cerca de 80 mil habitantes. Nessa mesma época, Nova Iorque tinha apenas metade desse número e São Paulo só 8 mil. É interessante pensar que Ouro Preto hoje, mais de 250 anos depois, tem menos habitantes, cerca de 70 mil.

Mariana foi a primeira capital de Minas Gerais, nomeada em homenagem à Maria Ana, rainha e esposa de Dom João V. Depois, Ouro Preto se tornou a capital do estado, nome advindo das características do ouro da região (o ouro era encontrado misturado ao minério de ferro, de cor preta, o que dificultava sua extração). Por fim, por Ouro Preto ser localizado num vale que dificultava a construção civil, o Brasil recebeu sua primeira cidade planejada, Belo Horizonte (primeira pós independência de Portugal). O Brasil possui 9 cidades planejadas! Quer saber quais são? Dá uma olhadinha aqui.

Belo Horizonte fica à cerca de 1h 40min de carro de Ouro Preto, 98km. Engana-se quem imagina Belo Horizonte como uma região totalmente plana, o nome parece sugerir isso. Porém, a capital mineira é cercada por serras e é de cima delas que você pensa: que belo horizonte!

E falando do caminho entre Ouro Preto e Belo Horizonte, deixo uma super dica pra vocês! Deem uma paradinha no Topo do Mundo – visual incrível!

topo do mundo
Topo do Mundo, MG

Resumão dos dados:

  • Em 1750, Ouro Preto era a cidade mais populosa das Américas, com 80 mil habitantes;
  • Nessa época, MG era responsável pela extração de metade do ouro do mundo (ouro conhecido por Portugal, fora o ouro sonegado e também aquele usado nas igrejas locais);
  • A maior mina de ouro aberta a visitação do mundo fica em Mariana (vale a pena entrar aqui no site e ler mais sobre o lugar). ;
  • Foi essa concentração de riqueza que possibilitou a região tornar-se um pólo artístico e filosófico. O Barroco, estilo artístico e arquitetônico caracterizado pela extravagância e riqueza de detalhes (altamente incentivado pela Igreja Católica para contrapôr o estilo simplista das Igrejas Protestantes), caiu como uma luva para a região que vivia seu apogeu econômico. A segunda igreja com mais ouro em sua decoração do Brasil, mais de 400 kilos de ouro, está em Ouro Preto (Basílica de Nossa Senhora do Pilar). A primeira encontra-se em Salvador, com mais de 700 kilos de ouro em sua decoração (Igreja e Convento de São Francisco). Essa concentração de riqueza também foi um grande incentivo para o desejo que a região nutria para obter independência de Portugal (já que eles tinham que pagar 1/5 do ouro extraído à Coroa Portuguesa), desencadeando a Inconfidência Mineira.

Não é possível ao turista tirar fotos dentro das igrejas. Contudo, você pode dar uma espiadinha nesse documentário de 2013 que mostra o interior de várias delas.

IMG_3461.jpg
Da esquerda para direita: Quartzo Imperial, Ouro de bobo, Pontos de ouro junto ao Minério de Ferro e água presa dentro de um cristal

Contrate um guia para visitar a região, vale a pena!

É tanta informação, tanta história, que mesmo que você tenha lido bastante antes de ir ainda vai aprender muito mais por lá!

Dica: vá até a Praça Tiradentes (centro de Ouro Preto) e contrate um guia privado. Vários guias ficam na região oferecendo seu trabalho e sai mais barato do que contratá-los pela agência. Você pode até fazer alguns orçamentos antes de ir para ter uma noção de preço quando chegar, mas dessa forma você pagará mais barato e ainda terá um tour particular com horário e itinerário flexíveis.

IMG_3466.jpg
Vista Panorâmica do Mirante do Morro São Sebastião, Ouro Preto

Ouro Preto, mesmo com apenas 70 mil habitantes, é um grande pólo universitário. Talvez por isso mantenha tal população mesmo frente a decadência econômica vivida após o fim do Ciclo do Ouro. São MUITAS repúplicas – mais de 250! E cerca de 70 delas são públicas, mantidas pelo governo. Os laços entre a cidade histórica e Portugal não se findaram com a independência da colônia. O sistema educacional é similar ao instaurado em Coimbrã e as universidades de ambos os países mantém bom vínculo acadêmico. Aliás, no nosso passeio pela Mina de Passagem estavam duas portuguesas. Toda essa população jovem na cidade significa boa vida noturna para os turistas também.

IMG_3435.jpg
Centro Histórico de Mariana

Há um trem que conecta as cidades de Ouro Preto e Mariana. Como o trajeto de carro era de apenas 20 minutos e de trem era 1h, decidimos ir de carro mesmo. Porém, se você tiver tempo eu recomendo o trem – vimos o trajeto que o trem faz por cima das montanhas, deve ser um visual fantástico! Aqui está o site da empresa de trem, mas ele não apresenta todas as opções de passagem. É possível comprar na própria cidade, só fique de olho para comprar com antecedência quando houver feriados! Principalmente na Semana Santa, pois Ouro Preto sedia um dos mais importantes eventos culturais da Igreja Católica do país!!! Encontrei um lindo registro em vídeo desse evento (Semana Santa Ouro Preto).

Pode colocar Ouro Preto e Mariana na lista que são passeios bão demais!

Um abraço!

Vou deixar ao final um resumo de duas grandes histórias da região.


Algumas histórias interessantes e contradições:

Chico Rei – Durante o Ciclo do Ouro, grande parte dos escravos trazidos da África eram enviados à Minas Gerais para trabalhar na mineiração. Especialmente aqueles vindos de áreas de mineração na África. Chico Rei era rei de uma tribo no Congo. Ele e sua tribo foram capturados e trazidos como escravos para o Brasil, mais especificamente para Ouro Preto. Naquela época havia a possibilidade de os negros comprarem sua liberdade, trabalhando extra para conseguir um dinheiro acima do que eles “deviam” aos seus donos pela comida e outras despesas. Ele conseguiu comprar sua liberdade e de seu filho. Posteriormente, aos poucos libertou o restante de sua tribo, comprou uma mina para que eles trabalhassem e construiu uma igreja – para que seu grupo pudesse frequentar (Igreja de Santa Efigênia). Depois de saber dos feitos de Chico Rei a Coroa Portuguesa proibiu que negros pudessem comprar sua liberdade.

Aleijadinho – Figura histórica no Brasil, quem nunca ouviu falar do Aleijadinho? Um artísta que virou lenda e agora não sabemos mais até que parte floresce a lenda e até que parte é a história real. Diz-se que é filho de um grande arquiteto português com uma escrava. Não teve educação formal, mas aprendeu o que sabia no convívio com os artístas e arquitetos da região. Por volta dos 40 anos começou a apresentar sintomas de uma doença degenerativa, o que não lhe impediu de continuar trabalhando. Foi dessa doença que surgiu seu apelido. Há relatos de que ele tinha que amarrar seus instrumentos de trabalho junto ao seu braço, pois não conseguia mais segurá-los. Agora vou deixar aqui o link de um vídeo que vem apimentar um pouco a história desse popular artista brasileiro.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s