Tudo o que você precisa saber para visitar o Atacama

O Atacama é um destino turístico, porém tem especificidades e dificuldades inerente ao seu ambiente que podem pegar muitos turistas de surpresa.

A ideia é reunir as principais dicas para que você consiga aproveitar esse lugar único da melhor maneira possível.

[Texto escrito em junho de 2019]

Água e Comida

A água não é potável. Não sei se é porque eles precisam processar a mesma água muitas vezes (afinal, estamos em uma das regiões mais áridas do mundo!), mas não beba a água da torneira a não ser que as pessoas do local onde você está hospedado disserem que você pode.

Você terá sorte se não tiver algum desconforto para tomar banho. Já prepare-se psicológicamente. Não é o fim do mundo, é apenas um aviso. Onde estávamos hospedados a água quente era cortada após 5 min. Depois ficava 2 min de água fria antes de voltar a prover água aquecida. O problema é que apenas para regular a temperatura da água levava uns 2 min, deixando apenas uns 3 para de fato tomar banho.

No sol a temperatura é quente. Porém, na sombra e a noite, fica muito frio no deserto. A noite pode chegar por cerca de -2ºC. Durante o dia, no sol pode estar 30ºC e quando você entra dentro de casa cai para uns 20ºC ou menos. É uma loucura! Puxei esses dados sobre a temperatura para amarrar com o banho. Quem pensa: que diferença faz ter água fria para tomar banho no deserto? A resposta é que faz bastante frio, é o equivalente a tomar um banho frio no inverno. Você topa? rsrs

Assim, como íamos ficar mais de um mês, compramos um pequeno aquecedor elétrico portátil para colocar no banheiro. Isso ajudou a encarrar o banho. A estratégia de banho que deu mais certo para passarmos menos frio, foi lavar o cabelo, enxaguar e colocar o condicionador, molhar o corpo e desligar a água. Lavar todo o corpo com o chuveiro desligado e depois apenas ligar para fazer um enxágue geral rápido antes de acabar a água quente.

Outras pessoas que conversamos falaram de outros tipos de problema, como o banheiro do hotel ficar fora do espaço onde estão os quartos e as pessoas terem que andar no frio após o banho. Isso quando não cortam a água ou a água quente termina pois a reserva foi usada (aquecimento à gas, não elétrico).

Nada que vá te impedir de vir, isso é apenas um detalhe comparado a tudo de bom que o lugar tem à oferecer.

A comida em Calama tem bom preço, já em San Pedro de Atacama (SPA), é difícil achar um sanduíche que não seja pelo menos 25 reais. Então planeje uns 80-100 reais apenas de comida por pessoa ou alugue um local com cozinha para que você possa preparar algumas das refeições.

Estradas e Combustível

IMG_5979

No Atacama, as estradas principais são asfaltadas – um tapete, diga-se de passagem – e para chegar nos atrativos turísticos a maioria é estrada de chão. Contudo, como quase não chove, as condições da estrada são melhores do que qualquer estrada de chão que já dirigi no Brasil. São tranquilas até para carros populares. Um carro um pouco mais alto ajuda, mas não é requerimento e com certeza não é necessário 4×4.

Há apenas um posto de gasolina de SPA, então tende a dar filha (aliás gasolina se diz nafta ou super. Fiquem ligados porque “gasoil” quer dizer diesel). Porém, sempre abasteça antes de sair para qualquer passeio, não há postos em abundância. O valor do preço do combustível em SPA era mais barato do que alguns locais de Calama (cidade maior onde está o aeroporto), o que me surpreendeu.

No Chile é proibido transportar gasolina em galões. Então se você ficar sem gasolina pode ser uma grande dor de cabeça conseguir sair dessa. Abasteça com frequência.

Todos os passeios do Atacama, com exceção do Tour Astronômico e para Uyuni (Bolívia), fizemos por conta própria. Os preços praticados pelas empresas de turismo da região são tão absurdos que mais vale você alugar um carro se vier de avião. Por exemplo, 120 reais por pessoa para ir ao Valle de la Luna, que fica à 15 min de carro do centro de SPA. E ainda você tem que pagar a entrada do parque fora a parte, esse valor é apenas o transporte e um lanchinho. Um absurdo!

As estradas tem ótima sinalização e as direções do Google Maps funcionam bem. É necessário baixar o mapa offline da região pois muitas áreas não tem sinal de celular.

Se acontecer qualquer problema automotivo, há sempre veículos particulares (no sentido de não serem agência) passando e você conseguirá ajuda. Mesmo as estradas menos usadas passa alguém a cada 15 min no máximo.

A única recomendação que faço nesse sentido, de dirigir por conta própria, é que a pessoa tenha chá de coca, chachacomo ou cafeína no carro. Os dois primeiros ajudam a combater os sintomas da altitude e também são estimulantes. Algum estimulante irá te ajudar a manter-se alerta no volante, pois as estradas são, na grande maioria, extremamente retas e monótonas.

Vou fazer um breve comentário de algo que me surpreendeu positivamente: os motoristas no geral seguem a legislação de trânsito e param para os pedestres ❤ Um diferencial na América do Sul, parabéns Chilenos!

Também, não é necessário se preocupar com policiais corruptos. Na nossa experiência e toda a pesquisa que fizemos na internet, os policiais Chilenos não pedem propina e se você tentar oferecer vai se meter em encrenca! Siga a legislação e você estará bem =)

Saúde

Aproveitando o gancho do último tópico que mencionamos a altitude, fortemente recomendamos ao turista fazer um seguro viagem (seguro saúde) ao visitar o Atacama. Você não sabe como seu corpo vai reagir à altitude e pode precisar de assistência médica.

Além disso, o Chile é um país com alto risco de terremotos. Há de se considerar isso ao planejar sua viagem. É provavel que não ocorra, mas se ocorrer e você precisar de atendimento médico?

Enquanto estávamos lá ocorreram dois terremotos. Eles foram leves e não acarretaram problemas – mas foram um lembrete de que o risco estava ali presente.

Por alguns meses usamos o seguro viagem da World Nomads. Gostamos bastante do serviço deles – no que diz respeito a encontrar as informações necessárias, preços, agilidade, etc. Ainda bem que nunca precisamos ativar o serviço. Mas pelo o que lemos de avaliação de outros viajantes eles resolvem bem qualquer problema e até pelo whatsapp.

Hoje temos um plano de saúde global, pois não sabemos em qual país vamos formar raízes. A idade vai chegando e depois de aparecerem doenças fica mais difícil conseguir um plano de saúde bom – muitos não cobrem doenças pré-existentes. Mas para apenas viagens, recomendamos o World Nomads.

Burocracias

Passar pela fronteira do Chile de carro é uma chatice. Eles fazem tirar tudo de dentro do carro para revistar, abrir as malas e tals. Mas apenas planeje tempo para isso. Sabendo que não é para pedir propina faz tudo mais tranquilo.

Lemos que a folha de coca era proibida no Chile. Contudo, nas feiras das cidades ela é vendida. Eu aconselho a não tentar a sorte na fronteira. Para se prevenir quanto a altide você pode fazer um chá e levar pronto num copo térmico ou pode comprar os “caramelos”, as balinhas (em Purmamarca tem, vou falar dessa cidade mais abaixo). Será mais seguro que ter a folha em si.

Na verdade, eles fazem você jogar fora qualquer fruta ou planta. Tínhamos um pacote fechado de feijão e eles jogaram fora.

Eu passei bastante mal na fronteira (Paso de Jama) por causa da altitude. Eles possuem uma enfermaria e atendem gratuitamente. Precisei receber oxigênio por alguns minutos. A coca vai evitar esse sintomas, fizemos isso no caminho de volta e não me deu nada. Gente, a folha de coca não é cocaína. Deixa de ser ignorante e vai pesquisar se você não sabe a diferença.

Outro item importante que você provavelmente vai precisar é um chip de celular. Comprar o chip é bem fácil. Assim como no Brasil, você encontra em qualquer vendinha. O que ninguém nos falou, entretanto, é que o turista tem que ir num site do governo registrar seu aparelho de celular. Se o registro não for feito, em 30 dias seu aparelho é bloqueado pelo governo e nenhum chip de empresas chilenas irão funcionar nele.

Esse bloqueio perdura por 12 meses. Segundo informações no site, o estrangeiro tem 30 dias da entrada no país para fazer esse registro. E não sei se há alguma maneira de fazê-lo depois desse período pois o processo é todo online, você não consegue falar com um atendente e explicar a situação.

Como nós ainda íamos passar um mês em Santiago depois do Atacama, isso seria um grande problema pra gente. Por sorte, tínhamos ido para a Bolívia conhecer o Uyuni enquanto estávamos no Atacama. Então tinhámos um carimbo no passaporte de entrada no Chile menor do que 30 dias – embora tivessemos entrado no Chile a primeira vez a mais de 30 dias. Então decidimos tentar a sorte e enviar a foto dessa segunda entrada como comprovante de entrada no país – e deu certo!

Fiquem ligados para não ocorrer com vocês, pois essa regra entrou em vigor no final de 2018 e ninguém nos disse. Nem quem vendeu o chip e nem a operadora quando fomos escolher um plano – e falamos especificamente que eramos estrangeiros e pedimos instruções de como proceder. Ficamos surpresos pois em outros países precisamos fazer um registro com nosso passaporte e no Chile não havia sido pedido nada. Falaram que estava tudo certo e depois descobrimos que não. Então espero que essa dica ajude os próximos viajantes.

Esse é o site para fazer o tal registro: https://multibanda.cl/

registro celular chile
Informação Registro do Celular no Chile

 

Tours e Passeios

Como já comentei na sessão sobre estradas, recomendamos que você faça os passeios por conta própria. Contudo, vamos dar uma ideia geral das diferentes opções de coisas a se fazer e também mais informações dos dois tours que fizemos com agências.

Tour Astronômico

_DSC0189 (2)

A maioria das agências cobra 40.000 CLP pelo Tour Astronômico. Nisso está incluso o deslocamento e geralmente um lanchinho e foto profissional para levar de recordação para casa.

O mais famosinho por lá é o Tour Ancestral, que normalmente é divulgado com uma foto de fogueira e vinho com as estrelas ao fundo. Conversei com duas pessoas que fizeram o passeio e me disseram que o foco era fazer a fila com a galera e tirar as 3 fotos prometidas de cada um. O lanchinho foi algo simples de 15 min e não tinha fogueira.

Vou divulgar aqui o tour que decidimos fazer e que, segundo a nossa pesquisa na época em que visitamos, foi o melhor. A agência é AstroTour.

Preço: 20.000 CLP (metade dos outros)

Inclui: Observação por telescópio, descrição científica com linguagem simples e algumas histórias dos povos ancestrais, vinho e lanchinho, uma foto profissional.

*Gente, não pague mico – astrolôgico e astronômico são duas coisas diferentes. Você não vai aprender sobre os signos do zodíaco no tour, estou falando isso pois uma pessoa do nosso tour perguntou e o guia não resistiu e começou a rir.

Salares

Acredito que o desgaste da viagem até o Salar de Uyuni (Bolívia) só valha a pena no período de chuvas, quando se pode ver o efeito espelhado. Mesmo o trajeto até lá sendo muito bonito, mais informações aqui. Se for para conhecer um salar, há outras opções mais convenientes.

Você pode ir conhecer o Salar do Atacama, no Chile ou as Salinas Grandes, na Argentina. Se você estiver vindo de carro do Brasil, você provavelmente vai passar pelas Salinas Grandes para chegar à SPA. Então já pode aproveitar fazer uma paradinha lá e conhecer outras coisas no Atacama.

Em Salinas Grandes, para entrar no salar e tirar umas fotos é gratuito. E se quiser ficar envolto pelo sal, adentrar o salar, um tour custa cerca de 300 ARS (atualmente o equivalente a menos de 30 reais por pessoa). Como você pode ver na foto abaixo, que o acesso até o local é asfaltadado. Ao chegar, você deixa seu carro no estacionamento e faz um tour com o carro das agências locais. Conveniente e barato.

IMG_3763
Salinas Grandes, Argentina

Se você fazer o passeio para Uyuni, você também vai passar por águas termais e Geyser, então esses passeios no Atacama que são similares podem ser menos interessantes. Porém, se você substituir o Salar de Uyuni por outro salar, o Atacama tem esses cenários para te oferecer também.

Montanhas Coloridas

IMG_5291 (1)
Valle del Arcoíris, Atacama

No caminho para o Atacama, em território Argentino,  há uma cidade chamada Purmamarca. Nela há o famoso Cerro de los 7 Colores. No Atacama há uma região com montanhas coloridas também, chamasse Valle del Arcoíris. Os dois são interessantes, mas se eu tivesse que escolher um, preferiria Purmamarca. Então, para aqueles que estão indo de carro para o Atacama, é possível fazer esse passeio do caminho e pular esse outro no Atacama. Contudo, como vocês podem ver nas imagens, ambos são muito bonitos.

20190408_074152
Nascer do Sol em Purmamarca, Argentina

Essa é uma ótima opção de pernoite, pois é uma boa distância para fazer em um dia até SPA. A cidadezinha é um charme, ótima feira e restaurantes. E ainda tem algumas trilhas legais para se fazer em vista para o famoso Cerro.

O que achamos de mais único para visitar no Atacama foram: Valle de la Luna, Valle de Marte (ou Valle de la Muerte) e Lagunas Escondidas de Baltinache. Claro, porque fizemos o tour à Uyuni e essas paradas na Argentina. Se não, entrariam aqui um Geyser, um salar e as águas termais ao ar livre.

Ouvimos falar muito bem das Lagunas Altiplânicas. Duas viajantes que já tinham ido para essa Laguna e que fizeram o tour para Uyuni conosco disseram que mesmo com tudo o que vimos no tour para Uyuni, ainda valia muito a pena ir visitar elas. Pelo o que vimos em vídeos e fotos, não nos empolgamos em ir. Mas deixo a dica para os viajantes que estão procurando outros locais únicos para colocarem no roteiro.

Para além da natureza, quem curte passeios históricos pode encontrar mais infomações aqui.

Valle de la Luna

DCIM101GOPROGOPR5816.JPG
Mirador Achaches, Valle de la Luna
  • Reserve umas 3-4h para ir conhecer o local e leve bastante comida, água e algo para altitude (esse tempo é contando sem o pôr do sol);
  • Sugerimos focar em duas trilhas: uma que dá a visão de cima do vale, da Duna Maior até o Mirador Achaches; outra que dá a visão por baixo do vale, junto ao estacionamento da região das Minas de Sal;
  • Quem vai por conta própria só pode ingressar no parque até 13h, depois desse horário é exclusivo para agências. Entrada 3.000 CLP por pessoa;
  • O pôr do sol é visto do Mirador de Kari (Piedra del Coyote). O valor dele está incluso no ingresso do Valle de la Luna (para quem for no mesmo dia). Dá pra ir separadamente e pagar entrada apenas dele.

Valle de Marte (Valle de la Muerte)

  • Em 2-3h dá para conhecer bem o local. É basicamente uma única caminhada subindo uma estrada, depois um mirador à esquerda (de quem está subindo a estrada), e por fim se atravessa a estrada para o lado direito vai caminhando por um paredão. Para voltar, você pode subir o paradão apenas para a vista e voltar pela estrada ou seguir todo o paredão e descer pela duna de areia que o pessoal faz sandboarding;
  • Não há equipamentos de sandboarding para alugar no local. Você deve vir com uma agência que faz esse tipo de passeio, ou alugar o equipamento do centrinho de SPA  e trazer com você;
  • Não há restaurantes no local, traga sua comida e água;
  • Melhor pôr do sol do Atacama! Vale muito a pena
IMG_5063-EFFECTS (1)
Pôr do Sol Valle de Marte

Para mais fotos e informações, siga nossa aventura no Instagram @vidaitinerantebr

Ficou um longo texto, porém eu como viajante prefiro encontrar um texto maior e completo do que ter que ficar fussando para achar todas as informações que eu preciso.

Se ficou alguma dúvida deixe nos comentários!

Boa viagem pra vocês, grande abraço!

 

 

1 Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s